Close

terça-feira, junho 28, 2022

Ufologia

Operação Prato – Parte 3

8 de abril de 2018

Operação Prato – Parte 3

Uma Interpretação de Conspiração

De forma única, o texto de Gério Ganimedes publicado no endereço http://projetoquartzoazul.blogspot.com.br/2015/08/a-conexao-secreta-niobio-x-ovnis-farsa.html     vem trazer uma nova visão sobre o tema “Operação Prato”.

Texto completo:

A Conexão Secreta Nióbio x OVNIS – A Farsa da Operação Prat

Imagem meramente ilustrativa / Edição: Gério Ganimedes

Década de 70 – Misteriosas luzes na Floresta do

Município de Colares / Pará – Brasil

 

Por Gério Ganimedes

Operação Prato, conhecido incidente do meio ufológico brasileiro, não passou de um plano

governamental para ocultar a evasão de divisas do minério (nióbio) que enriqueceu

empresas e membros do governo brasileiro e contribuiu para projetos científicos secretos dos EUA

e do CERN – Organização Europeia para Pesquisa Nuclear.


Uma floresta com fauna e flora abundantes, mas que também guarda um verdadeiro tesouro em jazidas minerais,

em especial um minério de grande interesse “estrangeiro”. Há alguns anos pesquisando e trocando idéias com colaboradores,

concluímos que o verdadeiro motivo, da grande preocupação dos EUA e alguns países europeus com nossa floresta amazônica,

vai muito além da mata, rios e animais em extinção.  Durante esta caminhada, acumulamos dados para uma compilação de estudo

no qual o resultado foi surpreendente e alarmante. Uma farsa escancarada, para encobrir os reais interesses das nações estrangeiras,

com a nossa já depauperada floresta amazônica.  São segredos inimagináveis que envolvem o Nióbio, negociatas por baixo dos panos

que favorecem até mesmo geradoras de sinal de TV. No Brasil estão localizadas aproximadamente 98% das jazidas deste minério com

características especiais e objeto de cobiça. Elemento químico de símbolo [Nb] número atômico 41 (41 prótons e 41 elétrons) e massa

atômica 92,9 u exige cuidados na manipulação. A poeira do nióbio pode irritar os olhos e a pele, e em algumas condições, apresenta

risco de entrar em combustão. É um elemento químico de atração terrestre e quem sabe até “extraterrestre”. Quantidades apreciáveis

deste elemento são utilizadas em superligas, para fabricação de componentes de motores de jatos, propulsores de foguetes, e outras

tecnologias que necessitem altas resistências à combustão (Acelerador de Hádrons do CERN). As agências científicas que mais tem contato

com este elemento são a NASA e o CERN.

 

Pedaço do cabo supercondutor feito da liga metálica Nióbio-Titânio
Foto/Crédito: Swamibu (CC BY-NC 2.0) – Edição: Gério Ganimedes

 

Grande Colisor de Hádrons – Tecnologia construída
com minério brasileiro – Alta concentração de nióbio e titânio

 

Um cubo de 1 cm3 de nióbio anodizado de alta pureza (99,95%) e cristais de nióbio de alta pureza (99,995%), feitos eletrolitamente, para

efeito de comparação. A poeira do Nióbio pode irritar os olhos e a pele, e em algumas condições, apresenta risco de entrar em combustão”.

 

Texto e pesquisa: Gério Ganimedes

Colaboração: Rosana Ganimedes

Leia mais: http://projetoquartzoazul.blogspot.com/2015/08/a-conexao-secreta-niobio-x-ovnis-farsa.html#ixzz50EWLrSp7

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rua Dr. José Afonso de Melo, N° 118, Sala 820 – Jatiúca, Maceió – AL. CEP 57.036-510.

*Site sem fins lucrativos

O homem consciente é verdadeiramente livre. Ele sabe que não sabe.

Louis Pauwels

Copyright © 2020. Detetive do Improvável. Todos os direitos reservados.