3 de outubro de 2018

Incidente da Ilha Maury

Todo começou quando dois homens alegaram ter visto discos voadores no céu da Ilha Maury, em Puget Sound, Washington, em 21 de junho de 1947. Eles eram Fred Crisman e Harold Dahl. Seus relatos foram ainda mais enriquecidos com o testemunho que  pedaços de uma das naves alienígenas teriam perdido parte da fuselagem e atingido um cão criado por um deles. Entretanto, o relato mais famoso envolvido no aso é o de Kenneth Arnold, um aviador que também teria avistado as espaçonaves durante voos feitos por ele na região. Seu registros foram um dos primeiros oficialmente reconhecidos da pela Ufologia mundial.

Crisman e Dahl alegaram a Arnold que viram seis objetos em formato de rosca no céu enquanto trabalhavam. Eles eram patrulheiros de porto em um barco de trabalho perto da Ilha Maury.  Segundo eles, um dos objetos deixou cair uma substância que se assemelhava a lava vulcânica ou “metal branco” em seu barco, quebrando o braço de um trabalhador e matando um cachorro.Não bastando esse incrível testemunho, Dahl também falou que, posterior ao ocorrido, ele foi abordado por um homem de terno escuro e que o orientou para não falar sobre o incidente.

A cena então estava montada para uma das maiores batalhas entre os defensores da Ufologia e os céticos.

Logo se levantou que a alegação de que Chrisman e Dahl eram patrulheiros de porto era falsa. Entretanto, Arnold se convenceu de sua história e contatou um oficial de inteligência da Força Aérea, que voou acompanhado de outro especialista da Califórnia para avaliar os pedaços da espaçonave. Logo, os oficiais concluíram que os objetos de metal eram de alumínio e não teriam nada que confirmasse sua origem extraterrena.  Curiosamente, o que se fala é que esses homens não revelaram sua descoberta a Arnold para evitar constrangê-lo. Na volta para a Califórnia, ambos oficiais tiveram uma trágica morte em um acidente.

Os resultados entretanto, foram passados as autoridades e o  FBI  começou a investigar o caso. Não foi considerada nenhuma surpresa par Arnold quando os resultados finais afirmaram que os avistamentos de Crisman e Dahl eram uma farsa. Em seus arquivos, entretanto, deve ser observado que Dahl afirmou que “se questionado pelas autoridades, ele diria que foi uma farsa porque ele não queria mais nenhum problema sobre o assunto”. Para reforçar as provas de ilegitimidade dos argumentos dos dois homens, o FBI apresentou  versões do relato dadas por Crisman e Dahl a jornais locais com pontos que controversos, cuncluindo que tudo seria um golpe “na esperança de construir sua história através de publicidade a um ponto em que poderiam fazer uma acordo lucrativo com a Fantasy Magazine, Chicago, Illinois. “.

Durante o grande apanhado feito pelo o governo americano no projeto Majestic 12, o incidente na ilha Maury  ainda mereceu  um destaque, entre tantos outros relatos de OVNIs, onde se afirmou mais uma vez que tudo teria sido fraude e que os fragmentos de metal colhidos foram avaliados pela CIA e comprovado serem parte de um reator nuclear.

O caso entra para a história como um exemplo da grande batalha entre os que defendem e os que tentam por em descredito a Ufologia. Assim como, trouxe pela primeira vez a aparição dos chamados “homens de negro” que, em outros momentos, viriam a ser relatados presentes em outros casos, inibindo testemunhas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *