4 de janeiro de 2019

A misteriosa Arca de Gabriel

Um relatório chocante que aparentemente foi produzido pelo Ministério da Defesa russo (MOD) circulou em torno do Kremlin. Este incompreensível relatório afirma que dois satélites das Forças Aeroespaciais foram usados ​​para a proteção do navio de pesquisa militar da Federação Russa, o almirante Vladimisky, que  deixou o porto saudita de Jidá, aparentemente levando consigo um misterioso objeto. chamado de “Arca de Gabriel”

De acordo com o relatório, o presidente Putin considerou este objeto tão importante que ele convocou navios de guerra, incluindo o cruzador de mísseis guiados Varyag, o destróier da classe Sovremennyy Bystry, o lubrificador da frota da classe Boris Chilikin, Boris Butoma, e o poderoso rebocador de salvamento Alatau. que após o término de uma missão na Índia, foram se encontrar com o Almirante Vladimisky no Oceano Antártico, fornecendo proteção enquanto navegava para a Antártica – claramente o que quer que seja essa “Arca”, é de grande importância para o Presidente Russo. .

O relatório aparentemente confirmou que a missão começou após o contato em 25 de setembro de 2016 de Sua Santidade o Patriarca Kirill de Moscou por representantes do Guardião das Duas Mesquitas Sagradas em Meca, na Arábia Saudita, em relação a um misterioso “dispositivo / arma” descoberto sob o Masjid. Mesquita de al-Haram (a Grande Mesquita) durante o que se tornou um projeto de construção extremamente controverso e secreto que começou originalmente em 2014 – e chamou a atenção imediata do presidente russo.

O relatório aparentemente afirma que o navio de pesquisa Almirante Vladimisky começou esta missão secreta em 6 de novembro de 2015 quando deportou de Kronstadt na primeira expedição da Antarctica da Federação em 30 anos. Outro aspecto muito estranho disso foi que também foi mencionado que a carga do navio também incluiria ‘cápsulas com solo russo que serão colocadas nas áreas militares “sagrados” e locais de enterro de marinheiros russos em portos de escala selecionados’ – isso poderia significar que o que quer que esteja a bordo deste navio é potencialmente capaz de matar um número conhecido de militares russos!

Este projeto militar intenso começou depois que os representantes do “guardião dos lugares santos” em Meca, Arábia Saudita, entraram em contato com Sua Santidade o Patriarca Kirill de Moscou sobre um suposto antigo “dispositivo / arma” descoberto sob a mesquita Masjid al-Haram (Grande Mesquita ) durante o que se tornou um projeto de construção muito controverso iniciado em 2014 . Isso quase parece que os sauditas estavam nervosos demais para tentar mover esse objeto desconhecido por si mesmos, daí o envolvimento russo – Como você pode imaginar, o trabalho de construção em uma das áreas mais importantes do mundo para a religião islâmica foi questionado por muitos!

Após levantar as preocupações dos emissários da Arábia Saudita e da Grande Mesquita, o relatório confirmou que quando esse misterioso “dispositivo / arma” foi descoberto em 12 de setembro por uma equipe de escavação de 15 homens, que em sua tentativa de remover este misterioso objeto, foram mortos  instantaneamente por uma enorme “emissão de plasma”. Na verdade, ela era tão poderosa que foi ejetada do solo derrubando um guindaste de construção matando pelo menos outras 107 pessoas na área circundante.

A ‘Arca de Gabriel’ aparentemente causou uma enorme tempestade de plasma matando muitos que freqüentavam Meca para serviços de oração.

Coincidência ou não, o relatório avisava sobre o fato de que apenas uma quinzena após a primeira tentativa de remover este misterioso “dispositivo” em 12 de setembro, uma segunda tentativa foi feita em 24 de setembro que matou mais de 4.000 pessoas devido a outra enorme “emissão de plasma” e colocou dezenas de milhares em pânico. As autoridades sauditas decidiram então relacionar esta situação devastadora a uma debandada entre os peregrinos.

Logo após o catastrófico número de mortes causado pela segunda tentativa da Arábia Saudita de remover este misterioso “dispositivo / arma”, o relatório continuou dizendo que Sua Santidade o Patriarca Kirill foi contatado pelos emissários da Grande Mesquita em relação a um dos mais antigos manuscritos islâmicos. possuído pela Igreja Ortodoxa Russa que foi salvo dos cruzados católicos romanos em 1204 quando eles saquearam a Igreja da Santa Sabedoria (que é agora conhecida como Hagia Sophia) em Constantinopla (atual Istambul, Turquia), que foi intitulado ” Instruções de Gabriel Para Maomé ”

É bastante importante notar que este aparente relato explica algo praticamente desconhecido no Ocidente, foi o fato de que as Cruzadas Católicas Romanas não foram apenas contra a crescente fé islâmica,mas,  também foi contra aqueles que tinham fé ortodoxa russa. e é por isso que, durante as cruzadas, a Igreja Ortodoxa Russa não apenas protegeu suas próprias bibliotecas religiosas de serem destruídas, mas também aquelas pertencentes a muçulmanos – havia uma grande unidade na época entre a Igreja Ortodoxa Russa e os muçulmanos.

O conteúdo deste antigo manuscrito islâmico, que tem um título intrigante de “Instruções de Gabriel a Maomé”, e que relata brevemente este relatório, centra-se em torno de um grupo de instruções dadas a Maomé pelo Anjo Gabriel em uma caverna chamada Hira, localizada na montanha. chamado Jabal an-Nour, perto de Meca, onde este ser celestial confiou aos cuidados de Maomé uma “arca” de “imenso poder” que ele estava proibido de usar, pois aparentemente pertencia a Deus e somente Deus a usaria  em um santuário no “local de culto que os anjos usaram antes da criação do homem, ficando oculta até que o futuro dos homens seja revelado nos dias de Yawm al-Qīyāmah, ou Qiyâmah, que significa literalmente “Dia da Ressurreição”.

 

Curiosamente, o relatório do MOD dificilmente menciona qualquer conversa entre Sua Santidade Patriarca Kirill e os emissários da Grande Mesquita em relação a essa misteriosa “Arca de Gabriel”, no entanto, o que ele claramente reconhece é que quando o Presidente Putin tomou conhecimento desta  situação, no dia 27 de setembro, o líder da Rússia imediatamente contatou seu pessoal militar sênior e ordenou a missão à Antártica para o navio de pesquisa Almirante Vladimisky – Ainda mais intrigante foi o fato de que 3 dias depois, em 30 de setembro, a Força Aérea Russa começou os ataques aos alvos do Daesh (ISIS) dentro da Síria. Isso poderia ser uma DISTRAÇÃO voltando o olhar do mundo para longe do que estava acontecendo com o transporte da estranha “Arca de Gabriel”?

Pelo visto, ainda teremos novas informações sobre a tal “Arca de Gabriel” e as consequências de sua descoberta. Ou talvez, seja mais um artefato de poder oriundo de um passado misterioso da humanidade a ser oculto do mundo moderno…para sempre.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *