11 de maio de 2019

Missão apollo 20

Em 1972, a NASA encerrou o Programa Apolo.  Cortes no orçamento, devido à necessidade de recursos financeiros serem necessários em outros projetos e a perda de interesse do público foram as explicações oficiais.  Mas nem todos estavam convencidos que isto era verdade.

Muitos teóricos da conspiração estavam convencidos que o programa espacial continuou de forma secreta, e que as missões Apolo 18 e 19 descobriram evidência de presença extraterrestre na Lua, mas que a Apolo 19 foi perdida devido à uma colisão catastrófica.  Apesar de também ter encontrado problemas, a Apolo 20 obteve sucesso na recoberta de tecnologia alienígena, bem como uma humanoide fêmea e animação suspensa.

Em 2007, vários vídeos foram publicados no YouTube por William Rutledge, um homem que alega ter sido um dos astronautas da Apolo 20.  Inicialmente, ele passou poucos detalhes a respeito dos controversos vídeos que mostravam estruturas abandonadas na Lua e uma alienígena dentro de uma nave acidentada.

Felizmente, o pesquisador italiano Luca Scantamburlo conseguiu entrar em contato com Rutledge e obteve maiores informações.  Quando Scantamburlo o perguntou como Rutledge se envolveu com a NASA, ele respondeu:

“A NASA não me contratou; a Força Aérea dos EUA o fez.  Eu trabalhei no estudo de tecnologia estrangeira, russa somente.  Estudei sobre o projeto N1, projeto Ajax de aviões, e do MIG Foxbat 25.  Eu tinha algumas habilidades para usar computador de navegação e fui voluntário no projeto MOL-Gemini.  Mais tarde, a Força Aérea lembrou que eu tinha sido escolhido para a Apolo 20, porque eu era um dos raros pilotos que não acreditava em Deus (e isso mudou desde 1990), mas isto era um critério em 1976.  Este não era o status dos astronautas da NASA. Não acreditar em Deus fazia a diferença. Isso é tudo.“

De acordo com Rutledge, a Apolo 20 foi lançada em 1976, e foi o resultado de uma parceria da Russia com os EUA.

“Eu não sei como, mas os soviéticos foram informados da presença de uma nave no lado oculto.  Em julho, Luna 15 se acidentou logo ao sul do nariz da nave [alienígena].  Ela era uma sonda similar ao Ranger e ao Orbitador Lunar.  Eles forneceram mapas e cartas precisas sobre esta área.  O centro da decisão estava localizado nos Urais, no cidade de Sverdlovsk.  O chefe do programa foi o Professor Valentin Alekseyev, que mais tarde se tornou presidente da Academia de Ciências dos Urais. Leonov [Alexei Leonov, cosmonauta soviético] foi inicialmente escolhido, devido à sua popularidade na equipe do Partido Comunista, e porque ele estava no Apolo-Soyuz.”

Após um lançamento de sucesso e sem maiores complicações, a tripulação da Apolo 20 foi ao seu ponto de destino, no lado oculto da Lua, uma pequena área na região de Delporte-Izsak, de aproximadamente 4 km de comprimento.

Não distante dali estava outra nave menor, bem como o que parecia ser uma cidade muito antiga.

À ‘Cidade Lunar’ foi dado o nome de ‘Estação Um’, mas ela parecia realmente ser lixo espacial, cheia de destroços, peças de ouro, e somente uma construção parecia estar intacta.  À construção demos o nome de ‘Catedral’.  Tiramos fotos dos pedaços de metal, de todos os escombros com escritas expostos ao Sol.  A cidade parecia ser tão velha quanto a nave, mas era um local muito pequeno.  No vídeo do jipe lunar, a lente da câmera telefoto faz os artefatos parecerem maiores.

Seu próximo destino foi a nave abandonada:

“Entramos na enorme nave, também numa outra triangular.  As principais conclusões da exploração foram: era uma nave mãe, muito velha, que cruzou o Universo há pelo menos um bilhão de anos.  Ela tinha muitos sinais de biologia em seu interior, restos de vegetação numa seção do motor, rochas triangulares que emitiam ‘lágrimas’ de um líquido amarelo com propriedades especiais e, é claro, sinais de criaturas extrasolares.  Encontramos os restos de quatro pequenos corpos (10 cm de comprimento) que viveram e morreram numa rede de tubos de vidro por toda a nave; mas a maior descoberta foi a de dois corpos humanoides, um deles intacto.”

O corpo humanoide intacto foi apelidado de ‘Mona Lisa’ e Rutledge a descreveu como estando num estado de animação suspensa, nem morta, nem viva.  Ela foi levada para o Módulo Lunar, para uma inspeção preliminar.

“Mona Lisa?  Eu não lembro quem deu o nome à garota, Leonov ou eu – era a EEB [Entidade Biológica Extraterrestre].  Humanoide, fêmea, 1,65 m.  Com órgãos genitais, cabelos, seis dedos (achamos que sua matemática era baseada em 12).  Função: pilota, aparelho de pilotagem ajustado para seis dedos e olhos, sem roupas.  Tivemos que cortar dois cabos conectados ao seu nariz.  Não tinha narinas. Leonov removeu o aparelho dos olhos (você verá isso no vídeo).

Concreções de sangue e líquido biológico saíram de sua boca, nariz e olhos e algumas partes do corpo e congelaram.  Outras partes estavam em condições anormalmente boas (cabelos) e a pele estava protegida por uma película fina e transparente.  Como dissemos ao controle da missão, as condições pareciam ser nem de morte, nem de vida.  Não tínhamos experiência médica, mas Leonov e eu fizemos um teste; fixamos nosso equipamento de monitoramento biológico na EBE, e a telemetria recebida pelo controle da missão foi positiva.

Mas esta é outra história.  Algumas partes poderiam parecer inacreditáveis agora, e eu prefiro contar toda a história quando outros vídeos estiverem online.”

O corpo de outra EBE também foi encontrado na nave, e pareceu ter morrido há muito tempo.

“Encontramos um segundo corpo, destruído, e trouxemos sua cabeça abordo.  A cor da pele era cinza azulada, um azul pastel.  A pele tinha algum tipo de detalhe sobre os olhos e na parte frontal; uma faixa estava ao redor da cabeça, sem nada escrito.”

Rutledge não mencionou nada sobre seu retorno à Terra e o que aconteceu com Mona Lisa. “Ela está na Terra e não está morta”, ele disse a Scantamburlo.

Quando lhe foi perguntado se suas declarações poderiam ter consequências, Rutledge disse:

“Sou o delator.  O que pode a NASA ou a Força Aérea fazer agora?  Bloquear-me ou processar-me seria um reconhecimento.  Eles podem falar de farsa, ou ficção.”

William Rutledge está com 78 anos e mora em Rwanda.  Devido à sua idade, ele não mais se sente ameaçado pelo seu juramento de segredo na época da missão.  Ele também declarou que não está ao encargo da NASA, nem de ninguém mais manter coisas desta magnitude escondidas do resto do mundo.

Para os céticos a fraude da Apollo 20 é uma história falsa contada em uma série de vídeos do YouTube sobre uma missão lunar americana tripulada que descobriu evidências de uma civilização extraterrestre no outro lado da Lua .

Em abril de 2007, os vídeos começaram a aparecer no YouTube com o nome de usuário “aposentado”, contando a extraordinária história da Apollo 20, uma missão lunar secreta que provou definitivamente a existência da vida alienígena inteligente na Lua.  Então, em 23 de maio de 2007, o ufólogo italiano Luca Scantanburlo disse que entrevistou um homem que se identificou como William Rutledge, um astronauta americano comandante da tripulação da Apollo 20 e o dono da conta “retiredafb”. No entanto, Scantanburlo nunca conheceu Rutledge pessoalmente, porque conduziu a entrevista pelo Yahoo! Messenger .

Durante a entrevista, Rutledge afirmou que a Apollo 20 era uma missão altamente secreta lançada em meados de agosto de 1976 pela Base da Força Aérea de Vandenberg, em Santa Bárbara, Califórnia , conduzida em conjunto pelos Estados Unidos e pela antiga União Soviética . Ele alegou que os outros membros da missão eram a americana Leona Snyder (uma pessoa aparentemente fictícia) e o ex-cosmonauta soviético Aleksei Leonov , o primeiro ser humano a andar no espaço. O local de pouso da missão era perto da cratera Guyot , uma característica próxima à muito maior cratera do Delporte . Rutledge disse que os vídeos mostram que ele e Leonov descobriram os restos de uma antiga civilização lunar.  Ele também disse que eles trouxeram artefatos para a Terra para estudo, incluindo o tal humanóide hibernando feminino.

Os primeiros vídeos da Apollo 20 apareceram no YouTube no chamado April Fool’s Day , um indício de que a história não passava de uma brincadeira elaborada. Os vídeos, no entanto, foram movidos para o Revver(outro site extinto), também sob o nome de usuário aposiredafb. Outros vídeos estão espalhados pelo YouTube postados por vários usuários de contas diferentes, dificultando a determinação da verdadeira identidade do fraudador. Cada vídeo continua a atrair milhares de visualizações.

Apesar da aparência realista dos vídeos, os céticos afirmam que os amadores os desmascaram facilmente no YouTube e em outros lugares na Internet.

Os vídeos são curtos, cada um durando apenas alguns minutos. Se vistos na sequência pretendida, eles contam uma história parcial da  missão, começando com astronautas embarcando na Apollo 20 e terminando com as extraordinárias “descobertas” na Lua.

A escritora do International Business Times , Mary-Ann Russon, sugeriu que o perpetrador da fraude é o cineasta / artista francês Thierry Speth.  No entanto, o site com a admissão de Speth, Need2know, não existe mais, nem o site pessoal de Speth. Além disso, mais vídeos associados a outras contas apareceram no YouTube sobre a Apollo 20, sugerindo que mais de uma pessoa está mantendo a fraude viva.

Ha quem defenda que esta história é uma mistura de fatos e ficção. O ponto de partida para isso são fotos que os astronautas da NASA tomaram em 1971, enquanto na órbita lunar durante a missão Apollo 15 , a quarta missão americana que levou homens à Lua. As fotos mostram o que parece um objeto em forma de charuto descansando em uma cratera lunar. O fraudador aparentemente usou essas fotos para criar a imagem de uma espaçonave alienígena marcada na lua. As fotos da NASA são reais.  No entanto, a NASA nunca alegou incluir imagens de espaçonaves alienígenas. O objeto em questão é aparentemente nada mais que uma parte natural do terreno lunar.

Na verdade, a Apollo 20 era uma missão que nunca voou. Foi uma das três missões lunares canceladas pela NASA devido à falta de financiamento, incluindo as missões Apollo 18 e 19. A última missão lunar da NASA foi a Apollo 17 , lançada em 1972. A próxima missão Apollo, sem contar as missões Skylab , foi a Apollo. -Soyuz Test Project , coordenado pelos Estados Unidos e pela antiga União Soviética em 1975. No entanto, sua missão era permanecer na órbita baixa da Terra e acostar com uma nave Soyuz soviética , algo que ela conseguiu com sucesso. Alguns se referem erroneamente a essa missão como Apollo 18.

Alguns dos estágios dos foguetes Saturn V destinados às três missões lunares canceladas da NASA já haviam sido construídos antes de seu cancelamento. De acordo com a história do fraudador, estes foram todos usados para os desembarques lunares das missões 18, 19 e 20 da Apollo. Na realidade, a NASA usou um deles para lançar o Skylab em órbita em 1973. Os outros estão em exibição em três centros espaciais americanos: Centro Espacial John F. Kennedy perto de Cabo Canaveral, Flórida; o Centro Espacial Johnson em Houston, Texas; e os Estados Unidos Space & Rocket Center, em Huntsville, Alabama.

O patch da missão “recreação” sugere os nomes da tripulação como “Rutledge – Snyder – Leonov” (William Rutledge – Leona Marietta Snyder – Alexei Leonov), com uma frase em latim de “Bucoliche” (IX, 50) de Virgílio , carpent tua poma nepotes , que se traduz como, – seus netos (descendentes) irão reunir suas maçãs, ou seus frutos.

Acesse nosso vídeo exclusivo clicando AQUI.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *