Close

quinta-feira, junho 17, 2021

Ufologia

De tempos em tempos, o Vaticano surpreende a humanidade com alguma noticias , digamos, não esperada. Já investiu surpreendentemente em  moderníssimos observatórios astronômicos,  fez revelações sobre profecias e milagres, mostrou textos perdidos, se pronunciou sobre a vida extraterrestre. Mas, talvez a mais curiosas dessas  declarações tenha sido que um papa tenha tido contato com um disco voador. O relato foi dado pelo
pelo assistente do Papa João XXIII que, em declarações a imprensa em 2005 disse que o evento mais estranho relacionado ao Sumo Pontífice foi um encontro ocorrido entre sua santidade e um extraterrestre.

Lois Capolvilla era já um dos bispos mais velhos no ano de 2012. Ele era também secretário papal e revelou que o encontro entre mundo teria ocorrido de maneira bem cordial pelos envolvidos nos jardins da pontifícia residência de verão, em Castelo Gandolfo. Foi em Julho de 1961 quando João XXIII, apelidado na época de “o papa bom”, passeava em companhia de Capolvilla, seu secretário. No determinado momento, a serena caminhada foi subitamente, pois, ambos observaram no céu um estranho objeto oval que apresentava uma luz brilhante de coloração azul. A nave manteve-se no ar por alguns momentos antes de pousar no relvado.

Então, um ser humanoide cercado por uma aura e com orelhas alongadas saiu da espaçonave. O Papa e seu secretário ajoelharam-se – mesmo sem saber exatamente o que estavam vendo, e começaram a rezar acreditando que se tratava de um fenômeno ou de um milagre celestial.

Passados alguns instantes o Papa decidiu aproximar-se da criatura e começou a conversar com o estranho. Esta conversa durou cerca de 20 minutos. Depois da confabulação, o Papa voltou a se reunir com o secretário e passou-lhe a seguinte mensagem:

“Os filhos de Deus estão por toda a parte, embora, às vezes, tenhamos dificuldades em reconhecer nosso próprio irmão.”

Passado o episódio, decidiu que não falaria mais sobre o assunto, sendo que jamais João XXIII revelou, nem mesmo aos seus mais fiéis colaboradores, o inusitado acontecimento.

Em 2008, o diretor do Observatório do Vaticano, José Gabriel Funes, em entrevista ao jornal Lobservatorie Romano, afirmou que “Deus pôde ter criado vida inteligente em outras partes do universo e inclusive poderiam ser nossos irmãos”, declarações que em questão de minutos deram a volta ao mundo. Um dos antecedentes desta feita, foi publicado em 1985 pelo jornal inglês Sun e semanas depois reproduzido por um rotativo norte-americano, em 23 de julho de 1985, onde se assegurava que o papa João XXIII, a quem lhe creditam milhares de fatos milagrosos em curas de doenças em todo mundo, teve vários encontros com seres extraterrestres. Um deles muito especial e bem documentado teve lugar na residência de Castell Gandolfo, em 1961.

Segundo declarou um dos assistentes papais: “Era de forma oval e tinha luzes intermitentes azuis e âmbar. A nave pareceu sobrevoar nossas cabeças, depois aterrou sobre a grama no lado sul do jardim. Um estranho ser saiu da nave; parecia um humano a exceção de que estava rodeado de uma luz dourada e tinha orelhas alongadas. Sua Santidade e eu nos ajoelhamos. Não sabíamos o que estávamos vendo. Mas soubemos que não era deste mundo, portanto devia ser um acontecimento celestial. O Santo Padre levantou-se e caminhou para o ser. Os dois ficaram juntos de 15 a 20 minutos, pareciam falar intensamente. Eles não me chamaram, de modo que permaneci onde estava e não pude ouvir nada do que falaram. O ser deu a volta e caminhou para sua nave, em seguida marchou. O Sumo pontífice dirigiu-se para mim e me disse: Os filhos de Deus estão em todas as partes; algumas vezes temos dificuldade em reconhecer a nossos próprios irmãos”. Naquele momento esta nota não causou nenhuma reação, mas foi retomada em 2007, em um congresso ufológico no Peru pelo bispo para América Central da Igreja Católica Ecumênica de Jesus Cristo, Higinio Asas Gómez.

 Em 23 de maio de 1963, anunciou-se que o papa padecia de câncer de estômago. Em uma semana posterior Angelo Giuseppe Roncalli morreu em Roma. O papa não quis se deixar operar temendo que o rumo do Concilio Vaticano II, que se desenvolvia nesse tempo, tomasse outro caminho. Monsenhor Higinio Asas, em entrevista telefônica com El Gráfico assegurou que “diante o leito de morte lhe perguntei sobre seu encontro e o papa contestou que isso ele levaria em seu coração”. O religioso assegurou que “na memória de milhares de pessoas, este Pontífice é recordado como o ‘papa bom\’ e é também honrado por muitas organizações protestantes como um reformador cristão”. Disse que “o encontro do Santo Padre com seres não humanos, sendo verdadeiro, abriu sua mentalidade”.

No livro As Profecias do Papa João XXIII [Difel, 1979], do escritor italiano Pier Carpi, lê-se: “As luzes do Céu serão vermelhas, azuis e verdes, e velozes. Crescerão. Alguém vem de longe. Quer conhecer aos homens da Terra. Já tem tido encontros. Mas quem viu realmente tem guardado silêncio”. Sua Santidade João XXIII foi beatificado por João Paulo II em 03 de setembro de 2000 e, quando exumado no mesmo ano, o corpo foi encontrado em estado incorrupto. Seus restos descansam na Basílica de São Pedro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rua Dr. José Afonso de Melo, N° 118, Sala 820 – Jatiúca, Maceió – AL. CEP 57.036-510.

O homem consciente é verdadeiramente livre. Ele sabe que não sabe.

Louis Pauwels

Copyright © 2020. Detetive do Improvável. Todos os direitos reservados.