Close

quinta-feira, dezembro 2, 2021

Arqueologia misteriosa

A trombeta ‘amaldiçoada’ de Tutankhamon

6 de junho de 2021

A trombeta ‘amaldiçoada’ de Tutankhamon

Um dos mais incríveis tesouros já encontrados, sem dúvida alguma, foi o do faraó Tutankhamon. Sua grandiosidade se deve a não ter sido achado pelos saqueadores, permanecendo intocado ao longo dos séculos. Muitos defendem a ideia que, em parte, essa proteção não deve ser atribuída ao mero acaso. Mas, sim, que foi fruto de um velho conhecimento esotérico do antigo Egito. É dessa proteção velada que provém a chamada “Maldição da Múmia”? A arqueologia oficial não defende sua existência. E realmente, até onde esse autor pode constatar pessoalmente, o que existe na maioria das tumbas egípcias que lembre uma maldição, ou melhor, uma ameaça escrita nas paredes, está direcionada aos deuses inimigos do sepultado, que, na “guerra divina”, tentariam levar a alma do faraó a torturas e sofrimentos eternos.

Por outro lado, as famosas mortes ocorridas entre a maioria dos indivíduos presentes ao momento de abertura da tumba de Tutankhamon são sempre destacadas desde de sua ocorrência. Para os que defendem a relação “maldição-mortes”, não apenas o dia da abertura da tumba foi maldito, mas, alguns objetos também estariam rodeados de grande ameaça aos profanadores curiosos e movidos pela ganância. Uma dessas peças seria um trombeta que pertenceu ao jovem rei e que estaria devotadamente colocada entres seus inúmeros pertences que foram colocados na tumba do monarca.

 A peça, na verdade, é um instrumento militar e que, dizem alguns, tem o poder de provocar “um conflito mortal”. Ela foi encontrada pelo arqueólogo Howard Carter, juntamente com outra semelhante, diferenciando-se no material que as constitui, sendo uma de prata e uma de bronze, ambas decoradas com flores de lotús e alguns deuses egípcios. E como se atribuiu que as mesmas são dotadas de uma maldição? Bem, após milhares de anos guardadas, quando se tentou tocar uma delas pela primeira vez, toda a cidade do Cairo ficou às escuras devido a um inexplicável blecaute. Foi nesse episódio que a BBC resolveu gravar o som, inclusive, sendo registrado que o instrumento de prata quebrou e feriu o músico que tentava tocá-lo. A trombeta de prata foi consertada, mas o músico precisou de hospitalização.
Das outras vezes, após um membro da equipe do Museu Egípcio no Egito ter tocado uma das trombetas chegou a acontecer, uma semana após, o início de uma revolução local. Diz-se que a mesma coisa também ocorreu sendo ela tocada antes da Guerra Árabe-Israelense de 1967 e da Guerra do Golfo de 1991.  Até mesmo os funcionários do museu onde elas costumam estar em exposição evitam toca-las, pois quem o fez, teve brigas e desentendimentos no trabalho.

Na dúvida, se determinou que as trombetas não seriam mais tocadas. Porém, o visitante que quiser vê-las pessoalmente, poderá ouvir gravado seu amaldiçoado e milenar som.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rua Dr. José Afonso de Melo, N° 118, Sala 820 – Jatiúca, Maceió – AL. CEP 57.036-510.

*Site sem fins lucrativos

O homem consciente é verdadeiramente livre. Ele sabe que não sabe.

Louis Pauwels

Copyright © 2020. Detetive do Improvável. Todos os direitos reservados.